segunda-feira, 4 de julho de 2011

"Estava" ou "tava"?

"Eu estava com medo."
A frase acima está correta, tanto na escrita quanto no "idioma falado". Se alguém escreve ou fala "estava", não há motivos para que seja corrigida.

"Eu tava com medo."
A frase acima está certa? Não. A frase acima está errada? Não.
Se formos avaliar no área escrita, está errada. Porque é errado encurtar palavras quando se está escrevendo. Portanto, na escrita, "estava" é proibido de virar "tava".
Mas se formos avaliar no quesito oral, a frase não está necessariamente errada, e nem certa.
Como eu disse anteriormente, se alguém falar "estava" não há motivos para ser corrigido. Mas, se alguém falar "tava" também não há motivos para ser corrigido. Por duas simples razãoes:

1. É deselegante corrigir as pessoas (Este é o único motivo de eu não corrigir as pessoas quando as vejo dizendo"estrupo, pobrema, tauba e mermo".).

2. A pessoa não está falando "tava" porque quer. Qualquer um sabe que "estava" é a forma correta de se falar. Mas o nosso cérebro tem a mania de encurtar certas palavras involuntariamente, principalmente quando nos encotnramos em situações que deixam nossas emoções á flor da pele. Isso não acontece apenas com o "estava", mas com todas as conjugações do verbo "estar", com o "obrigado" (Que se transforma em "brigado".) e com a "professora"(que vira "psora").

Isso se chama vício de linguagem e, embora existam muitos vícios de linguagem que transmitem erros grotescos, não é errado (Pelo menos não esses que eu citei acima.).
E, também, não devemos nos preocupar com "tava, obrigado, psora" e outros quando temos muito mais perto de nós, erros  muito mais grotescos como "tauba, pobrema, mermo, estrupo" e etc.

Um comentário: